Apresentação

Realismo Político surge de um trabalho que vem desde 2011 com o blog Realpolitik.

Esta é, antes de tudo, uma iniciativa que busca o compartilhar do conhecimento e a disseminação de informação. Desta maneira, aqui se encontrarão citações de variados autores com os mais diversos propósitos.

Mas esse não é um mero site de notícias, curiosidades ou interesse acadêmico. Aqui se busca o re-avivamento de uma visão realista e pragmática à linha de Maquiavel, Clausewitz e Carl Schmitt.

“As coisas como são, não como deveriam ser.”

Esta conhecida “máxima maquiavélica”, que expressa o conceito de Veritá Effettuale, o desprendimento de moralismos ou distorções ideológicas. É necessário reconhecer os interesses e circunstâncias por trás de cada ideologia, e cada ideologia por trás de cada ação. A realidade, “as coisas”, especialmente a realidade política e humana, é um processo extremamente dinâmico, fluído e contraditório.

O antigo nome “Realpolitik” traduz essas considerações. Tomei liberdade de utilizar a definição fornecida pela Wikipedia:

“Realpolitik (Do Alemão real (“Realístico”, “prático” ou “atual”) e Politik (“política”) refere-se a políticas ou diplomacia exercida baseada principalmente em considerações práticas, em detrimento de noções ideológicas. O termo é freqüentemente utilizado pejorativamente, indicando tipos de política que são coercitivas, imorais ou maquiavélicas.”

Nos perguntamos: cui bono? Quem ganha? A quem interessa?

Aqui encararemos os atores políticos como beligerantes numa guerra, a política como um jogo. Rejeita-se, a princípio, as narrativas escatológicas e maniqueístas que pressupõe “o ideal” e aqueles que o ameaçam. Diversas ideologias e posições aqui serão expostas, mais por uma honestidade enciclopédica do que por entusiasmo democrático. É necessário um mínimo de empatia metodológica, já que a natureza da política é, até certo ponto, determinada pela maneira como homem a concebe. Diversas perspectivas disputam a realidade no sentido de estabelecerem seus projetos.

As relações de poder permeiam toda a realidade e cada ente procura expandir o próprio poder. Sendo assim, o conflito é uma constante e faz parte da própria natureza das coisas humanas.

 

Leave a Reply